Imprensa

Mais notícias:

Vinho brasileiro na vitrine internacional com a inauguração da Wine South America

Publicada em 27/09/2018 - 08:42


Até sábado, mais de 10 mil pessoas devem visitar as 250 marcas expositoras no Parque de Eventos, em Bento Gonçalves

Colocando os vinhos e espumantes brasileiros na vitrine internacional, a primeira edição da Wine South America iniciou na quarta-feira (26), em Bento Gonçalves (RS), destacando as qualidades dos rótulos nacionais – em uma força-tarefa para contribuir com a continuidade do crescimento do setor a geração de oportunidades de negócios.

Diretor Alberto PizEsse esforço promete ser continuado. “Já estamos trabalhando para viabilizar a edição de 2019", disse Alberto Piz, diretor da Milanez & Milaneze, promotora da feira, e subsidiaria do Grupo VeronaFiere. O discurso otimista está centrado na participação de 250 marcas expositoras de 10 países, na presença de 120 compradores e de 20 jornalistas de diversas partes do país e do Exterior e, principalmente na adesão do setor em torno da Feira. "A Wine South America está acontecendo porque os expositores acreditaram e abraçaram a feira. E nós estamos cumprimos com a palavra em fazer um encontro de negócios internacional que falasse de vinho no Brasil", lembrou Piz.

Além de potencializar a prospecção comercial, a Wine South America é um importante instrumento de promoção e divulgação para o setor – um verdadeiro momento de integração que colabora de forma determinante para o desenvolvimento da região, estado e país, na opinião do presidente do Ibravin, Oscar Ló. “Sabemos da potencialidade desse mercado. É por isso que estamos aqui, acreditando no futuro e trabalhando para promover ainda mais a cultura do vinho no país”, disse.

 

Referência internacional

A Wine South America estreia com um traço muito similar a Feira do Vinho que ocorre na Itália e é a mais relevante no contexto global do setor: ambas são realizadas longe de seus respectivos centros financeiros, Milão, no caso da Itália, e São Paulo, no caso do Brasil. "Verona é referência do setor vitivinícola da Itália, assim como Bento é o do Brasil", enalteceu o vice-presidente do grupo italiano VeronaFiere, Romano Artoni. As semelhanças que unem essas duas nações também aparecem na semelhança geográfica. A VeronaFiere é da região do Vêneto, mesma de onde muitos italianos partiram para povoar a Serra gaúcha. Essa história de mais de 140 anos foi lembrada de maneira emotiva pelo secretário de Turismo e Comércio Exterior da Região do Vêneto, Federico Caner: "Consideramos essa região a oitava província do Vêneto". Caner, ao fazer uma analogia das colinas daqui com as de lá, disse que os imigrantes construíram uma cultura do vinho nessa região com suor e trabalho. "Eles foram heróis do vinho", enalteceu, sob aplausos.

Para o embaixador da Itália, Antonio Bernardini, o intercâmbio entre as duas nações simboliza a continuidade de uma relação amistosa que ainda tem muito a crescer. "Que esse tipo de evento possa continuar contribuindo para o desenvolvimento da indústria e dos produtos brasileiros, reforçando os laços comerciais entre essas duas grandes nações, Itália e Brasil", falou.

O prefeito de Bento Gonçalves, Guilherme Pasin, reportou a grandiosidade e relevância da realização da feira – um sonho coletivo, agora concretizado. “Com muito orgulho, durante quatro dias seremos a capital latino-americana do vinho”, disse.

 

Bento oficializa presença na associação Città del Vino

Bento oficializa presença na associação Città del VinoItália e Brasil também estão unidos, agora, pela associação Città del Vino. A presença do país, por meio de Bento Gonçalves, foi oficializada durante a abertura da WSA e coloca a cidade entre o seleto grupo que reúne cidades produtoras de vinho na Itália para promover o vinho em um ambiente de excelência técnica.

A associação defende o vinho como um elemento cultural, unindo prefeitos, hoteleiros, restaurantes e lideranças dos trades de enoturismo. Já as cidades associadas seguem um padrão de qualidade estabelecido no estatuto Carta da Qualidade das Cidades do Vinho, cujos princípios são, entre outros, proteger o vinho e sua paisagem e inserir o vinho em seus ambientes. "Hoje nasce uma colaboração entre aqueles que sabem que o vinho é feito de cultura", disse o presidente da Cittá del Vino, Floriano Zambon.

O convite surgiu durante a missão que divulgou a WSA na Itália e atesta a cada vez maior qualidade dos vinhos e espumantes brasileiros. "O mundo já vê o mercado nacional de maneira especial, comentou a presidente da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), a brasileira Regina Vanderline.

Regina colocou o Brasil pela primeira vez na principal posição hierárquica da entidade, e muito está atrelado à maturidade e à qualidade da produção nacional. "Foi fundamental para minha eleição", reconheceu. Para ela, há desafios em todo o mundo para o setor, seja de caráter produtivo - por conta das condições climáticas que afetam a produção -, seja de cunho comercial - que encontra nas relações de comércio internacional suas próprias dificuldades. "A OIV olha para esses desafios como oportunidades para globalizar e difundir a cultura do consumo vitivinícola em escala mundial. E esse é o ambiente ideal para que o livre comércio e a concorrência transparente aconteça", elogiou.

Conhecer vinhos brasileiros é um dos atrativos da feiraExpectativa de público na feira é de 10 mil visitantes

 

SERVIÇO

O quê: Wine South America 2018 – Feira Internacional do Vinho

Quando: até 29 de setembro, das 12h às 21h

Onde: Bento Gonçalves - RS

Local: Parque de Eventos de Bento Gonçalves (Alameda Fenavinho, 481)

Ingressos: a partir de R$ 150 (é possível conferir as condições especiais no site www.winesa.com.br) | Degustações no espaço Wine Tasting precisam de ingresso à parte a partir de R$ 60 cada (também disponíveis para consulta no site www.winesa.com.br)

Informações: (54) 3455-6711 e www.winesa.com.br

Crédito das imagens: Vagão Filmes